Arquivo da tag: Ricardo Neis

Atropelador de Porto Alegre é condenado

Mais de cinco anos após atropelar 17 ciclistas em Porto Alegre, o servidor público Ricardo José Neis foi condenado pela 1ª Vara do Júri da Capital a 12 anos e 9 meses de prisão, em regime inicialmente fechado. Cabe recurso.

O réu já foi condenado em ações civis, porém, em pelo menos uma, não pagou o valor devido à vítima, apesar de ter remuneração mensal de R$ 22.567,61 (valor consultado no Portal da Transparência).

Dois anos de fórum e de espera

Nesta quinta-feira, Porto Alegre recebe o 2º Fórum Mundial da Bicicleta; na próxima segunda-feira (25), completam-se dois anos do atropelamento de 17 pessoas que participavam da Massa Crítica (Bicicletada) na capital gaúcha. Não é coincidência. A data serve para lembrar o evento e cobrar uma resposta do poder público.

Assim, o blog faz mais uma atualização dos processos enfrentados pelo atropelador, Ricardo Neis, nas esferas criminal e cível:

Em decisão de junho de 2012, da 1ª Vara do Júri de Porto Alegre, Neis foi pronunciado por 17 tentativas de homicídio, para ser submetido a julgamento popular (processo 0057903-48.2011.8.21.0001). O recurso do réu ao TJ-RS aguarda julgamento na 3ª Câmara Criminal (0488947-38.2012.8.21.7000). Só depois ele poderá ser submetido (ou não) ao Júri.

Já na esfera cível, a 11ª Vara Cível de Porto Alegre determinou, em maio, o pagamento de R$ 2.002,36 por danos materiais e R$ 2.000 por danos morais a Dailor Sartori Júnior, um dos ciclistas atropelados (processo: 0117140-13.2011.8.21.0001). As duas partes recorreram e, em outubro, a 11ª Câmara Cível elevou a indenização por danos morais para R$ 10.000 (número: 0343350-38.2012.8.21.7000).

Outro processo, que tramita na Vara Cível Regional da Tristeza, ainda aguarda decisão de 1º grau (número: 0011619-24.2011.8.21.6001). O autor é Adilson Simonini Sieg.

Atropelador de Porto Alegre: atualização

Muita gente se pergunta o que aconteceu ao servidor do Banco Central Ricardo José Neis, que, em 25 de fevereiro de 2011, atropelou 17 pessoas que participavam da Massa Crítica (Bicicletada) de Porto Alegre. À época, ele chegou a ser preso preventivamente, depois de período sob custódia num hospital psiquiátrico, mas foi libertado graças a um habeas corpus.

Atualmente, no âmbito criminal, Neis recorre de sentença de pronúncia da 1ª Vara do Júri de Porto Alegre, proferida em junho deste ano, determinando que o servidor fosse a júri popular por 17 tentativas de homicídio. O número do processo é 0057903-48.2011.8.21.0001.

Neis também responde a pelo menos duas ações de indenização ajuizadas por ciclistas atropelados. Numa, movida por Dailor Sartori Júnior, foi condenado em primeira instância (11ª Vara Cível de Porto Alegre) a pagar R$ 2.002,36 por danos materiais e R$ 2.000 por danos morais. Número do processo: 0117140-13.2011.8.21.0001. As duas partes recorreram ao Tribunal de Justiça (número: 0343350-38.2012.8.21.7000).

A outra ação, ajuizada por Adilson Simonini Sieg, aguarda sentença na Vara Cível Regional da Tristeza (0011619-24.2011.8.21.6001).