Arquivo da tag: Copa do Mundo

Mobilidade invisível

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, deu entrevista à coluna Direto da Fonte, do Estado de S. Paulo, publicada na edição do dia 10. Destaque para a resposta abaixo:

Falou-se muito que a Copa do Mundo seria um evento da iniciativa privada. Mas, com o passar do tempo, o que se viu foi o governo pagando boa parte da conta. O que deu errado?
Nada. Esta é uma Copa com recursos privados. O governo investe em obras para a população. Obras que seriam feitas independentemente da realização do torneio – a maioria delas faz parte do PAC. Evidente que muitas foram antecipadas para atender as necessidades da Copa. No caso dos aeroportos, por exemplo, eles seriam reestruturados mesmo que não houvesse Mundial. A melhoria na mobilidade (metrô, VLT, trens, viadutos, avenidas) também aconteceria?

Se na sua cidade houve, por favor, relate, para divulgarmos.

Copa da imobilidade

VLT, BRT, ampliação do metrô. Como nada disso ficou pronto, o governo do Distrito Federal resolveu, para os primeiros eventos teste da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, soluções inovadoras: bloquear vias, desviar caminhos e pedir a “colaboração” das pessoas.

Para a partida entre Santos e Flamengo, no domingo, resolveu, além de tudo isso, abrir o Eixo Rodoviário ao trânsito de carros – há 20 anos o local, aos domingos, é reservado ao lazer da população. No ano passado, o governador Agnelo Queiroz transformou a tradição em norma, sancionando a Lei 4.757, que diz o seguinte:

Art. 2º O Eixão do Lazer abrange os Eixos Rodoviários Sul e Norte, que ficarão liberados para a população aos domingos e feriados no horário das 6h às 18h.

Por isso, cresce um movimento na internet para ocupar o Eixão do Lazer no domingo, fazendo valer a tradição e a lei. O #OcupaEixao deve levar famílias inteiras ao local para bloquear o acesso não de pessoas, mas de carros, à via.

O governo local finge que não sabe. E, por meio da Secretaria de Segurança, manda avisar que as “forças de segurança” tomarão as medidas necessárias para coibir atitudes contrárias à “festa” pré-Copa.

A história, até aqui, não é boa. Vejamos domingo como vai continuar.