Arquivo da tag: cicloturismo

Com R$ 30 por dia, casal do DF viaja de bicicleta e conhece 13 países

Raquel Morais
Do G1 DF

A bordo de bicicletas e com uma barraca como abrigo, a publicitária Julie Assêncio e o administrador de redes Thiago Ruiz encontraram uma forma barata e até saudável de realizar o sonho de viajar pelo mundo. O casal deixou Brasília em maio e ainda não tem data para voltar. O roteiro já percorrido inclui 13 países europeus e asiáticos, com um gasto diário de apenas R$ 30 para os dois.

A ideia surgiu depois de o casal percorrer o Ceará de bike em agosto de 2013. “Foi uma experiência maravilhosa. Vimos que com a bicicleta poderíamos ir muito longe gastando pouco. Voltamos da viagem e a vontade de continuar não saía de nossas cabeças. Foram dois meses absorvendo essa viagem, e em sete meses já estávamos com tudo pronto para embarcar na grande viagem de nossas vidas”, lembra Julie.

Para viabilizar o sonho, eles venderam os carros e abandonaram os empregos. O itinerário foi dividido em três etapas: Europa, Ásia e Brasil. A publicitária, de 30 anos, mora em Santa Maria. Ruiz, em São Sebastião. O casal pegou um voo até Portugal em 17 de maio, onde comprou as bicicletas e deu início ao projeto.

“Começamos pela Europa por causa da facilidade em encontrar bons equipamentos e pela estrutura que os países oferecem para os viajantes”, explica o administrador de redes. “[No] Nosso primeiro dia de viagem pedalamos somente 20 quilômetros, pois logo no primeiro local que paramos, em uma lanchonete, o dono nos convidou para dormir em sua casa. Foi muito legal. Foi nossa primeira experiência de dormir na casa de pessoas que você nunca havia visto na vida. Fomos tratados como reis.”

Desde então, eles já passaram pela Espanha, Andorra, França, Itália, Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzovina, Sérvia, Bulgária, Turquia, Índia e Nepal – onde escolheram passar o Natal e o réveillon. As fotos, que retratam as belezas naturais, monumentos e costumes desses países, ilustram uma página em rede social. Parte das experiências também é publicada.

(…)

Blog do casal aqui.

Anúncios

3×2 com Fabio Moraes, cicloturista

Em março, o brasiliense Fabio Moraes, 25 anos, partiu num pequeno passeio com sua namorada Paloma Pinho: uma pedalada de 4.000 km de Brasília a Lima. Os dois completaram 100 dias de viagem no último domingo, na cidade peruana de Ayaviri, ainda a mais de 1.000 km da capital.

Como se chega à decisão de mergulhar numa viagem de 4.000 km em cima de uma bicicleta?
Tomar a decisao é fácil, difícil é se preparar e conseguir todos os equipamentos e dinheiro necessários para isso. Não sei muito bem de onde vem essa vontade, é como juntar a fome com a vontade de comer. Juntar as pedaladas com a vontade de conhecer novos povos e novos lugares. Faço isso por turismo. Não pretendo lutar pela paz ou salvar o mundo em cima da minha bicicleta, pretendo conhecer tudo aquilo que jamais teria a oportunidade de conhecer.

Qual foi o momento mais marcante da viagem?
O momento mais marcante até agora… Diga-se de passagem que hoje [28 de junho] completamos 100 dias de viagem. E o momento mais marcante foi a subida das cordilheiras. Um visual que não conhecia, montanhas e muitas subidas. Uma energia muito diferente do que tinha experimentado em viagens. Pelo clima e paisagens, que agora já são mais comuns.

Qual foi sua primeira bicicleta e qual sua lembrança dela?
Ganhei uma bicicleta do meu padrinho. Uma aro 20, azul. Com um protetor de espuma no guidão, para não bater a boca. Sei que, assim que ganhei a bicicleta, subi nela, sem rodinhas nem nada. Saí pedalando. Mas não consegui fazer uma curva e caí. Daí, voltei chorando e não quis mais andar. Fui andar algum tempo depois, e já não subi e saí andando como na primeira vez, tive que aprender passo a passo.

Cada louco com a sua

Vou (e quase sempre volto) pedalando até o trabalho duas vezes por semana. São cerca de 6 km na ida e 8 km no retorno. Desce um, vai três, noves fora, não completo nem 30 km por semana. A relação com o trânsito é melhor do que eu imaginava. As condições das vias que percorro, à exceção de uns calombos na S1 logo depois do MPDFT e no SDN (!), também. O tempo ameno da manhã me poupa de tomar banho, oinc, oinc, e, se é verdade que o banheiro podia receber um asseio, trocar de roupa não exige muito.

Apesar de tudo isso, tenho certeza de que algumas pessoas me acham louco, pelo simples fato de ir de bicicleta para o trabalho.

Pois vou contar o que é loucura.

E esse caminho que eu mesmo escolhi...

E esse caminho que eu mesmo escolhi...

Cruzar a Austrália, em dois trechos, de Perth a Adelaide (3.977 km) e de Sydney a Canberra (2.049 km), a bordo de um monociclo. Esse é o objetivo do indiano Sid Rajan, 24 anos, para os próximos dois meses. Loucura?

E ir de Brasília a Lima, via Bolívia, num percurso de 4.000 km? Essa é a aventura, em andamento, de Fábio Moraes e Paloma Pinho, dois moradores aqui mesmo do glorioso Distrito Federal. Leia os relatos dos dois, veja as fotos, tente imaginar o que andam vivendo por aí e depois venha aqui me contar o que, afinal, é loucura.