Arquivo da categoria: transporte

Bicicleta “vence” mais um intermodal

Entre as atividades de promoção da mobilidade urbana, na Semana Nacional de Trânsito, foi realizado na última segunda-feira (23) mais um Desafio Intermodal de Brasília.  E foi um dos participantes que usaram a bicicleta o que percorreu mais rápido o trajeto entre a QE 7, no Guará, e o Museu Nacional – uma distância que variou de 13 a 15 km de acordo com o modal.

Roberto Ramos, de 31 anos, levou 21 minutos e 50 segundos para vencer o percurso em cima de uma mountain bike. Ele ficou à frente, por exemplo, do participante que pegou um táxi (23 minutos e 30) e do que usou um carro particular (24 minutos e 10). Todos saíram do Guará às 7h57.

Obs.: O voluntário que faria o trajeto de moto – um potencial “vencedor” – não pôde participar.

Veja os resultados (leia mais aqui):

Bicicleta mountain bike: 21:50
Táxi: 23:30
Carro: 24:10
Bicicleta fixa: 24:35
Bicicleta fixa: 27:10
Bicicleta speed: 29:50
Bicicleta speed: 30:41
Bicicleta mountain bike: 34:26
Metrô + bicicleta urbana: 39:12
Ônibus: 44:09
Metrô: 55:17
A pé (corrida leve): 1:44:40
A pé (caminhando): 2:12:55

Desafio Intermodal de Brasília

Depois de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis, Curitiba, Maringá e outras cidades, Brasília aproveitou o Dia Mundial sem Carro para realizar seu primeiro Desafio Intermodal. A missão era vencer um percurso de 15 km, entre a QI 25 do Guará II e a Praça das Bicicletas (Museu da República), com saída às 7h22. E os resultados foram:

Moto: 27 minutos
Bicicleta: 28 minutos
Bicicleta: 29 minutos
Bicicleta: 30 minutos
Integração bicicleta-metrô: 31 minutos
Bicicleta: 40 minutos
Integração ônibus-metrô: 43 minutos
Carro: 57 minutos
Integração bicicleta-ônibus: 57 minutos
Bicicleta: 58 minutos
Metrô: 60 minutos
Ônibus: 98 minutos

Desafio Intermodal do Rio

Na noite da última quinta-feira, foi realizado o 4º Desafio Intermodal do Rio de Janeiro, uma experiência que tenta avaliar a eficiência de diferentes meios de transporte. A missão, desta vez, era ir da Central do Brasil, no centro da cidade, à Praça Antero de Quental, no bairro do Leblon, Zona Sul do Rio. A “vitória” – termo de que os organizadores do evento não gostam por sugerir uma competição – ficou com a combinação entre metrô e bicicleta pública (no sistema Samba). Unindo os dois meios de transporte, foi possível cumprir o trajeto em 49 minutos, contra 55 minutos de moto, 64 minutos de carro e nada menos que 124 minutos de ônibus.

Importante notar as regras do desafio: os participantes tinham de passar pela estação Siqueira Campos de metrô, em Copacabana; respeitar as leis de trânsito e as regras de segurança de cada modal utilizado; e, no caso do automóvel particular, estar com o veículo estacionado na largada e estacioná-lo antes de chegar ao ponto de encontro final.

Confira abaixo os resultados:

Integração metrô-bicicleta pública: 49 minutos
Integração metrô-bicicleta dobrável: 50 minutos
Moto: 55 minutos
Bicicleta pela rua (homem): 58 minutos
Integração metrô-skate: 59 minutos
Carro: 64 minutos
Integração metrô-ônibus: 69 minutos
Bicicleta pela ciclovia: 70 minutos
Metrô-ônibus comum: 75 minutos
Bicicleta pela rua (mulher): 76 minutos
Táxi: 79 minutos
Ônibus: 124 minutos
Pedestre: 127 minutos