Arquivo da categoria: Invenções

Câmera dupla

A Spectacam é uma câmera de prender no capacete que registra simultaneamente em duas direções. De acordo com os inventores, que ainda buscam financiamento para produzi-la a partir de 2013, são duas as principais utilidades: registrar incidentes no trânsito e gravar desempenhos esportivos.

Spectacam: ciclistas poderão recuperar imagens de incidentes. Foto de divulgação.

As especificações previstas são as seguintes: duas câmeras de 1080p, cartão MicroSD, bateria com duração de três horas, microfone, resistente à água e conectividade WiFi. O preço é salgado: US$ 349 (R$ 715).

Bike borboleta

Nem sempre piadas com produtos falsos funcionam. Mas a Brompton fez bem o dever de casa com sua “bike borboleta“: um dispositivo para ajudar o ciclista a ser visto e, de quebra, frear mais rápido…

“Capacete” leva prêmio de design

O Hövding, “capacete” inflável em forma de colar, levou no início do mês o prêmio principal do Index Award, maior competição de design do mundo. O brinquedinho usa um sensor de movimento para inflar em caso de queda. Apresentado pela primeira vez no ano passado, o Hövding ainda vai ser lançado comercialmente, com preço estimado de 2.998 coroas (R$ 796).

Segurança e estilo: Hövding promete proteção por R$ 796. Foto de divulgação.

Yike: US$ 3.595 por uma bike

Apresentada no ano passado como um marco do desenho industrial, a YikeBike acaba de chegar ao mercado, pela bagatela de US$ 3.595 (R$ 6.147). A “bicicleta” elétrica é feita de fibra de carbono, alcança 23 km/h e tem autonomia de 10 km. A característica mais inusitada é a posição de direção: praticamente de pé. Diferentemente do Segway, que tem um único eixo, a YikeBike lembra mais uma bicicleta comum, com uma roda de 20 polegadas na frente e uma de 8 atrás. Pesa 10,8 kg e mede 15x60x60 cm dobrada. Detalhe: a fabricante não sabe dizer se a YikeBike pode circular nas ruas legalmente.

YikeBike: mistura de bicicleta elétrica e Segway por US$ 3.595. Foto de divulgação.

Imagens (VI)

Ornithopter: criação de estudantes canadenses movida a... pé humano. Foto de divulgação.

Seleção de dobráveis

As bicicletas dobráveis são peças importantes do quebra-cabeça de um sistema de transporte mais sustentável nos centros urbanos. O site Ecofriend publicou uma curiosa seleção de modelos convencionais e nem tão convencionais, alguns à venda mundo afora, outros ainda restritos à imaginação de designers e inventores.

Dubike, conceito de David Fionik, da Universidade Técnica de Bialystok. Foto: Ecofriend.

Invenções (II)

Fonte: Marcia Bindo, Vida Simples

A ideia é genial: um projetor a laser acoplado na traseira da bicicleta desenha no asfalto duas linhas vermelhas com o símbolo universal dos ciclistas ao centro. Aonde a bike vai, a imagem segue atrás. Como a maioria das cidades não tem ciclovias, o apetrecho é uma baita mão na roda para o ciclista noturno circular com mais segurança pelas ruas. O objetivo é exatamente chamar a atenção dos motoristas para o fato de que é fundamental manter distância das bicicletas.

Laser na segurança do ciclista. Fonte: Altitude.

Laser na segurança do ciclista. Fonte: Altitude.

O produto foi idealizado pelo escritório de design americano Altitude para uma competição cuja intenção era promover o ciclismo. “Cansei de ver amigos sendo atingidos no trânsito. O que mais afasta os ciclistas das ruas é o medo de dividi-las com os carros”, diz o engenheiro mecânico Alex Tee, um dos idealizadores do LightLane. Originalmente era para ser apenas um protótipo, mas o sucesso foi tamanho que o escritório segue desenvolvendo o produto. E, se tudo der certo, ele será comercializado no ano que vem nos Estados Unidos.

Nota do blog: o lançamento comercial do LightLane estava previsto para outubro de 2009, a um preço superior a US$ 50. É bom lembrar, porém, que existem muitas restrições ao uso de laser em produtos de livre comércio.

Invenções (I)

A bicicleta como meio de transporte é realidade em vários países e sua disseminação serve de combustível para a criatividade de muita gente. Do genial ao surreal, a distância nem sempre é clara. O que dizer, então, da invenção dos japoneses da STORE MUU?

Vaga semelhança com uma bicicleta ergométrica.

Vaga semelhança com uma bicicleta ergométrica.

Apresentado recentemente numa feira de design em Milão, o Pit In é uma espécie de mesa-estacionamento, que, segundo seus criadores, permite ao ciclista parar, descansar os braços e ler um jornal ou usar um notebook. Tudo isso sentado no próprio selim da bicicleta.

“Com essa estação de acoplamento, que adoraríamos ver instalada nas ruas, os ciclistas só precisam encaixar suas bicicletas e dar uma parada”, explicaram Ippei Kimoto e Masahiro Asakura, designers da MUU, ao jornal inglês Guardian.

Vaga certa

Fonte: TAM nas Nuvens

Assim como os automóveis, estacionar bicicletas em lugar seguro é um desafio constante. É aí que aparece o Biceberg. Inventado pela espanhola ma-SISTEMAS, Biceberg é um estacionamento subterrâneo de bicicletas, totalmente automatizado, que pode guardar com segurança 23, 56, 569 ou 92 bikes, juntamente a acessórios como capacetes e mochilas.

Esquema de funcionamento do Biceberg. Fonte: CoolTown Studios

Esquema de funcionamento do Biceberg. Fonte: CoolTown Studios

O mecanismo funciona como um imenso caixa eletrônico, que guarda as bicicletas e depois devolve-as ao nível do solo – o processo todo leva apenas 30 segundos, assegura a companhia. Enquanto as bibicletas estão guardadas, a Biceberg oferece 100% de garantia contra roubo.

Nota do blog: para se usar o Biceberg da Universitat Autònoma de Barcelona, paga-se uma taxa mensal de 12 euros, mais 0,30 ou 0,15 euro por hora.