Arquivo do mês: março 2014

Solução para o transporte: comprar um carro

Diante da pergunta de um ouvinte, durante debate na rádio CBN Brasília, Lúcio Lima, diretor técnico do DFTrans, autarquia responsável pelo planejamento e fiscalização do transporte público no Distrito Federal, disse que não anda mais de ônibus “em função da minha função”, que “trabalhou para chegar” e desejou que o cidadão “daqui a um dia não precise mais andar de ônibus”. Nesse momento, foi interrompido pelo âncora, Estêvão Damázio, que repetia: “Não, não, o senhor não pode falar isso não.” Ao tentar se explicar, Lima garantiu, em ato falho, ser “um grande defensor do transporte público individual“, corrigindo-se em seguida.

Veja a matéria do jornal Metro (áudio do debate do dia 20 aqui):

A compra de um carro é a melhor solução para uma locomoção confortável pela cidade, na opinião de Lúcio Lima, diretor técnico do DFTrans, órgão responsável pela gestão do transporte público na capital.

Foi essa a sugestão que Lima fez a um cidadão que reclamava da condição dos ônibus durante um debate realizado pela rádio “CBN Brasília” na manhã de ontem.

O ouvinte, identificado como Paulo, mandou uma mensagem à emissora perguntando se o gestor ia trabalhar de ônibus. Na resposta, Lima disse que já havia andado muito de transporte público, mas que hoje já não o fazia e esperava que o mesmo acontecesse ao autor do questionamento.

Questionado pelo âncora Estevão Damázio sobre a declaração, Lima se explicou dizendo que a opinião servia para aquele contexto, já que acredita que o ouvinte deseja comprar um carro.

“Sou um eterno defensor do transporte público, mas sabemos que o carro ainda é um objeto de desejo. A pergunta me pareceu uma provocação”, disse Lima à CBN. “Mas estamos trabalhando para, em breve, poder dizer a toda a população que a melhor opção é o transporte público.”

IPI zero para bicicletas

Dois parlamentares – o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) e o deputado Onofre Santo Agustini (PSD-SC) – apresentaram emendas à Medida Provisória 638/2014 para garantir IPI zero às bicicletas. O pleito, antigo, consta de projetos de lei em tramitação há tempos no Congresso e tem apoio de um movimento formado por fabricantes, comerciantes, políticos e grupos de ciclistas (Bicicleta para Todos). A tentativa de inclusão na MP – que trata de incentivos à indústria automobilística – busca viabilizar a mudança por outro caminho.

(Sugiro que, no mesmo debate, discuta-se a redução do imposto sobre bicicletas importadas, hoje em absurdos 30%, para proteger a indústria nacional.)

ATUALIZAÇÃO EM 21/4/2014: Inácio Arruda apresentou a mesma emenda à MP 628/2013, que pode ter o relatório do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), favorável à isenção, votado na terça-feira (25).