Dicas para pedalar no trânsito

Uma das maiores barreiras à adoção da bicicleta como meio de transporte cotidiano é o medo de pedalar no trânsito. Muita gente hesita em embarcar nessa “missão suicida” e, quando finalmente resolve “se arriscar”, pensa que o melhor é fugir dos carros: usar ciclovias, caminhos improvisados, calçadas. A verdade é que essas quase nunca são boas opções. Pedalar na calçada, por exemplo, é lento, leva a uma disputa com os pedestres e pode até configurar uma infração de trânsito.

As regras básicas de como pedalar com segurança no trânsito estão reproduzidas em vários sites: seguir o sentido do tráfego, andar no bordo direito da pista (mas não colado no meio-fio), usar equipamentos de segurança… Uma boa lista inicial de referências pode ser encontrada no Transporte Ativo.

Acho pessoalmente que os dois pontos mais importantes são visibilidade e comunicação. Embora não faltem motoristas agressivos, imprudentes e irresponsáveis, a maior parte das situações de perigo ocorre quando os ciclistas ou suas manobras não são percebidos. Por isso, é indispensável ser notado, o que pode ser conseguido com uso de roupas e acessórios chamativos (camisas claras ou coloridas, coletes, tornozeleiras reflexivas) e, à noite, de luzes e refletores. Também é preciso deixar sempre claro o que se pretende fazer: se a ideia é virar num cruzamento, é uma boa tentar avisar aos motoristas, por meio de gestos ou até verbalmente.

Às vezes, porém, nem tomando todos os cuidados a pessoa se sente segura e confortável pedalando com os carros. E pedalar com receio e hesitação é o cenário mais preocupante possível. O melhor, nesse caso, é desistir e deixar para uma próxima vez – quem sabe na companhia de alguém mais experiente até se ganhar confiança.

Anúncios

5 Respostas para “Dicas para pedalar no trânsito

  1. Olá. Meu problema é na verdade como sinalizar quando NÃO quero entrar em uma conversão à direita, mas apenas seguir em frente. Exemplo: ao pegar a EPIG em frente ao Sudoeste, aqui em Brasília, quero seguir adiante e não entrar no Parque da Cidade, mas como estou na pista da direita… Indo pela pista central é aquele festival de finas e buzinas… Como faz??? 😛

  2. Rosana, vale a mesma coisa. Costumo fazer um gesto com o braço, indicando uma linha reta, para que o motorista perceba que vou seguir em frente. Importante lembrar que a preferência é do ciclista. Ainda assim, havendo qualquer dúvida quanto à reação do motorista, é mais aconselhável parar e esperar…

  3. Parabéns pelo blog!

    Quanto à dúvida da Rosana, sempre que quero seguir reto, olho se vem algum carro muito próximo e espero passar, daí me posiciono um pouco mais ao centro da faixa, para me tornar visível, e estendo o braço direito com a palma da mão voltada para os carros (como se fosse um “pare”), semelhante ao ciclista deste video no tempo ‘8:48’: “http://www.youtube.com/watch?v=75nPOsbIjl0”. Mas quando o movimento de carro cruzando é muito grande e rápido (ex.: da rodoferroviária para a EPIA), prefiro parar no canto e esperar. Nesse link também há boas dicas: http://www.bikemagazine.com.br/2011/03/armadilhas-transito-para-ciclistas/

    Abraços

  4. Ah, obrigada, é lá mesmo na entrada do Parque a minha dificuldade… durante a semana o trânsito para entrar no Parque de manhã é muito pesado, nos fins de semana dá mais certo. O video todo é muito bom!
    Abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s