Arquivo do mês: outubro 2009

Vaca louca

Como se não bastasse seu incompreensível sucesso no Brasil, a Cow Parade nos traz agora uma vaca ciclista, de autoria da designer Laura Sobral, finalista da seleção para a exposição de 2010, em São Paulo. Detalhe: a cicowvia, segundo o site Blue Bus, é patrocinada pela Ipiranga. Aquela que descobriu há muito tempo que o brasileiro é apaixonado por carro.

vacacicl

Vaca ciclista, idéia bovina. Imagem do Blue Bus.

Twitter

Tuitando.

Um dia…

Para quem não sabe, apesar da precariedade de sua estrutura cicloviária, o Distrito Federal tem, desde 2007, um Dia do Ciclista. Instituído pela Lei 4.030, de 16/10/2007, é comemorado em 26 de outubro. Nesse dia, em tese, deveriam acontecer eventos especiais relacionados ao tema:

Art. 2º Os órgãos públicos promoverão festividades, debates, palestras e outros eventos, com vistas a difundir o respeito e a prática do ciclismo na cidade.

Parágrafo único. As festividades, os debates, as palestras e os eventos de que trata o caput, sempre que possível, devem ser harmonizados com a programação realizada no Distrito Federal.

A dois dias da data comemorativa, nem a página do Programa Cicloviário do Distrito Federal (Pedala-DF), nem a da Agência de Comunicação do Distrito Federal, anunciam festividades, debates, palestras e outros eventos, com vistas a difundir o respeito e a prática do ciclismo na cidade.

O solitário evento semi-oficial, com participação do Pedala-DF e do Detran-DF, foi a Palestra do Ciclista, no dia 21. Ainda assim, não houve divulgação nas páginas dos órgãos supracitados, além de tecnicamente o dia sequer fazer parte de uma imaginária Semana do Ciclista – que iria do dia 25 ao 31.

Vamos aguardar uma surpresa…

Palestra do Ciclista

Com participação do Detran-DF, Pedala-DF (Programa Cicloviário do Distrito Federal), Rodas da Paz e Pedal Noturno.

Data: 21/10/2009
Horário: 19h30
Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Sala Águas Claras)

Mais informações: Rodas da Paz.

Prêmio para criador da Brompton

O britânico Andrew Ritchie, inventor da bicicleta dobrável Brompton, conquistou a 50ª edição do Prince Philip Designers Prize, concedido pelo Design Council.

Uma Brompton dobrada. Foto de divulgação.

Uma Brompton dobrada. Foto de divulgação.

Formado em engenharia, Ritchie inspirou-se na bicicleta portátil Bickerton para criar seus primeiros protótipos, na década de 1970, com apoio financeiro de amigos. Ele chegou a tentar licenciar o projeto para empresas estabelecidas, como a Raleigh, mas na época nenhuma acreditou no potencial do segmento.

Novamente com ajuda de amigos, que se dispuseram a pagar adiantado pelas bikes, Ritchie produziu as primeiras Brompton em 1981. Hoje, a empresa fabrica mais de 20 mil unidades por ano, com preços que podem passar de US$ 2 mil.

Dúvida existencial

Depois de assistir ao documentário Still we ride e ao vídeo de uma altercação durante a Bicicletada de Blumenau, fiquei a pensar num ponto polêmico, freqüentemente lembrado por autoridades policiais quando desejam interromper ameaçadores passeios de bicicleta. Afinal, pedalar em grupo, ocupando a faixa de rolagem inteira, é uma infração de trânsito?

O Código de Trânsito Brasileiro não deixa muita dúvida:

Art. 247. Deixar de conduzir pelo bordo da pista de rolamento, em fila única, os veículos de tração ou propulsão humana e os de tração animal, sempre que não houver acostamento ou faixa a eles destinados:

Infração – média;

Penalidade – multa.

E aí? Passeios em grupo, bicicletadas e assemelhados são exercícios legítimos dos direitos de reunião e manifestação? São um desrespeito à lei de trânsito? São um caso à parte?

Mais legislação aqui, aqui e aqui.