Mão e contramão

Mais de uma vez me perguntaram por onde eu andava na rua e, diante da resposta, pelo menos duas pessoas se surpreenderam com o fato de eu não ir no sentido contrário do trânsito. Para elas, na contramão, eu seria mais fácil de enxergar, o que aumentaria minha segurança. Pois o raciocínio é o oposto. Os ciclistas devem trafegar no mesmo sentido dos carros, o que não só garante a normalidade das coisas (a bicicleta, acredite, é um veículo), como, de acordo com a física, reduz o potencial de dano numa eventual colisão.

É também o que estabelece o Código de Trânsito Brasileiro:

Art. 58. Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Parágrafo único. A autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via poderá autorizar a circulação de bicicletas no sentido contrário ao fluxo dos veículos automotores, desde que dotado o trecho com ciclofaixa.

Resta, então, outra pergunta premiada: de que lado se deve trafegar?

Aqui temos duas interpretações. Quem se atém ao art. 58, costuma se basear no uso do plural (“nos bordos da pista de rolamento”) para alegar que o ciclista pode andar tanto pela direita quanto pela esquerda. Outros, porém, preferem lembrar o art. 29, que afirma o seguinte:

Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:

I – a circulação far-se-á pelo lado direito da via, admitindo-se as exceções devidamente sinalizadas;

(…)

IV – quando uma pista de rolamento comportar várias faixas de circulação no mesmo sentido, são as da direita destinadas ao deslocamento dos veículos mais lentos e de maior porte, quando não houver faixa especial a eles destinada, e as da esquerda, destinadas à ultrapassagem e ao deslocamento dos veículos de maior velocidade;

Eu, enquanto eu mesmo, prefiro pedalar na direita.

Mais dicas de legislação aqui e aqui.

Anúncios

4 Respostas para “Mão e contramão

  1. Off topic total: vi um milhão de bicicletas Dahon na viagem! E uma loja de bikes que não tinha nome, só um adesivo com um camelo na fachada. Pena que não fotografei.

  2. Li esse post na pesquisa para escrever um sobre o mesmo tema. Concordo e discordo de você ao mesmo tempo! 🙂

    abs

  3. Pingback: Mudanças no CTB « Pedaladas Capitais

  4. Opinião de irmão mais velho e mais experiente em pedaladas (apesar de aposentado há muitos anos).
    O motorista tem uma visão muito melhor do que acontece à esquerdo do veiculo do que à direita.
    Considerando que não recomendo pedalar em vias de alta velocidade, nas demais acho melhor pedalar pela esquerda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s